sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Suicídio? Não, obrigado!


Ó Zé desaperta o laço
E desaperta-o bem
Que esse laço apertado
Nunca fez bem a ninguém
Se caíste na pobreza
Podia ser bem pior
Muito mais vale a riqueza
Que é a paz interior
Se a doença bateu à porta
Ora com muita paciência
Mata a doença bem morta
Com a Fé e com a Ciência
Se o teu amor de deixou
Não te quedes a chorar
E se outro amor arranjou
Trata também de arranjar
Tudo tem resolução
Seja Cá ou seja Lá
E o que não tem solução
Solucionado então está
Deixar a vida à socapa
Pela porta proibida
Quem o faz pensa que escapa
Mas só agrava os males da vida
Agosto de 2012

Sem comentários:

Enviar um comentário