domingo, 10 de março de 2013

Fatal Desfecho






Todos os dias vemos o Telejornal
E enlouquecemos mais um pouco
É certo que a vida já corre mal
Mas com tanta má notícia dá-se em louco

O dinheiro escasseia, é bem verdade
Mas o medo a corroer a as entranhas
É a causa maior da fatalidade
Que é o dar abrigo a ideias estranhas

«Se após esta vida nada existe
Bem faço se morrer me deixo»
O materialismo assim insiste
Em lançar gente para o fatal desfecho

«Espiritismo? Ah, ah, ah! Deixa-me rir!
Isso é coisa p’ra gente pequena
Gozar, comer, beber e dormir
É a única coisa que vale a pena»

Com tais declarações de desdém
Quem cultiva a ideia do Nada
Ignora a realidade do Além
E torna muita gente desgraçada

Então, se em momento de aflição
Temendo p’lo futuro dos teus filhos
Pensares que matar-te é solução
Pensa bem, pois vais arranjar mais sarilhos

Deus te deu a vida, não esqueças
E a morte virá quando ele quiser
Só sofres nesta vida o que mereças
E o resto seja o que Deus quiser

Alberto

ENLSB, 10.3.2013

Sem comentários:

Enviar um comentário